LATEST POSTS
Carolina Delboni | Consumidor é gente
185
post-template-default,single,single-post,postid-185,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-3.9,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

Consumidor é gente

Consumidor é gente

Esse post precisa ligar os pontos…Entrei no site de um querido amigo que é publicitário pra pegar seu novo email e li o texto de apresentação da nova agência – Lua Branca. Depois recebi a revista Pais&Filhos em casa e fora a matéria da family (hehehe), li a reportagem sobre o documentário da também publicitária Estela Renner sobre “Criança – a alma do negócio”. Dai recebi o convite pra pré-estréia. Vi o vídeo no youtube…

Ligando os pontos parei pra pebsar em várias coisas, entre elas e a principal delas o consumidor – mirim e adulto. Primeiro fala-se de um ponto super bacana que é olhar o consumidor como gente, gente como a gente, normal. Que tem desejos, frustações, dias bons e dias ruins, vontades, ataques de compras, fase de economia geral…Enfim, é uma pessoa normal que não deveria ser classificada em grupos como fazia-se ha tempos atrás. Um olhar novo pra tentar entender quem é essa pessoa que movimenta o mercado, a economia.
Depois olhar pra criança que cada vez mais tem poder de decisão de compra e isso, pra mim,, reflete inumeras coisas. Entre elas, a que mais me preocupa, é uma geração voltada ao consumo antes mesmo do brincar. É chocante! E dai entra a discussão da progagando em canais infantis e da proibição de dar brindes em produtos pra essa galerinha. Óbvio! Por que você acha que seu filho quer ir ao Mc Donald´s? É pelo brinquedo do Mc lanche feliz!!!!
Outro dia o meu Pedro me perguntou, vendo um comercial do Discovery Kids o porquê que eles davam brinquedo quando você compra um sapato. E ai? Por que? o sapato já não é um presente mais do que bom? Por que precisa forçar a criança a pedir aquele sapato em si só para ela ganhar um brinquedo?
Dai me leva a pensar que as grandes marcas e empresas estão perdendo o foco. Estão tão desesperadas pra vender e vender em escala gigantesca (faturamento de milhoes no mês) que esquecem principios e principalmente, esquecem a essencia da marca e a essencia do consumidor, da gente, da infância. Enfim, um longo post…mas pra pensar e ir ligando os pontos pra ver, aos poucos, onde vai dar.

2 Comments

Post a Comment