LATEST POSTS
Carolina Delboni | Itaú cultural tem atividades pra família no final de semana
2172
post-template-default,single,single-post,postid-2172,single-format-gallery,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-3.9,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

Itaú cultural tem atividades pra família no final de semana

Itaú cultural tem atividades pra família no final de semana

Nos dias 30 e 31 de maio, o Itaú Cultural está repleto de atividades para toda a família e público de todas as idades.

Os dois dias contam com a programação do Fim de Semana em Família, que leva para o piso Paulista do Instituto a performance Do Fundo do Mar, da Cia Fios de Sombra, realizada em caixas escuras, e o Cantinho da Leitura com a Feirinha de Troca de Livros, CDs e DVDs.

No dia 31, a festa acontece na Rua Leôncio de Carvalho, na esquina da Av. Paulista, no programa Se essa rua fosse nossa. Nesta programação, o bloco Ilú Obá de Min, conhecido por celebrar a cultura afro-brasileira e destacar a participação das mulheres no mundo, toca e canta em harmonia com Dona Ivone Lara, rainha do samba e tema da Ocupação em cartaz no Itaú Cultural.

Outra atividade é comandada pelo grupo Confraria da Colagem, com Cantinho da colagem. A ideia é dispor revistas, papéis coloridos, cola, tesoura e canetinhas, para que os participantes busquem figuras que lhes interessem e criem, através do recorte e da colagem, uma nova imagem. Os testes de composições que a atividade sugere, inclusive, despertam o interesse pela leitura de obras de arte.

As crianças poderão se divertir também com as brincadeiras de rua, trazidas pela Casa do Brincar.

Ainda, o público poderá participar da visita temática A cultura africana e o nascimento do samba, paralela à Ocupação D. Ivone Lara. Neste encontro, visitantes e educadores percorrerão a coleção Brasiliana, no Espaço Olavo Setúbal, e a Ocupação D. Ivone Lara – para refletirem juntos sobre as relações existentes entre o gênero música, a produção artística da sambista carioca e as tradições africanas de seus antepassados que aqui viveram. Como não seria possível entendermos o “nascimento” do samba no Brasil sem entrarmos em contato com os contextos históricos, políticos e culturais dos séculos XVI e XIX, obras de artistas como Debret e Rugendas nos provocarão a refletir sobre este momento em nosso país. A visita temática acontece as 17h.

Tags:

No Comments

Post a Comment