LATEST POSTS
Carolina Delboni | Além da Pele: a beleza da alma
1710
post-template-default,single,single-post,postid-1710,single-format-gallery,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-3.9,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

Além da Pele: a beleza da alma

Além da Pele: a beleza da alma

Acontece até 31 de maio uma exposição que todos deveríamos ver. Ela é dura de ver, mas acho que necessária. Porque é uma forma de buscarmos conhecimento sobre uma doença que só quem vive sabe o que é. São os portadores de Genodermatoses (são doenças genéticas muito raras que afetam a pele e, por vezes, outros órgãos e sistemas).

Entre 12 e 31 de maio de 2015, a mostra “Além da Pele: a Beleza da Alma e da Família” toma conta das dependências do CCJ – Centro Cultural da Juventude em São Paulo. Uma realização da Associação Paulista de Medicina, o evento conta com incentivos do ProacSP, apoio da ONG Ibagen – Instituto Brasileiro de Apoio aos Portadores de Genodermatoses – e patrocínio do laboratório Aché.

São 15 imagens capturadas pelas lentes da dermatologista e fotógrafa Régia Celli Patriota de Sica. Nelas, a médica retrata diversas crianças (em ângulos solitários ou acompanhadas de suas mães). Um dos objetivos desta mostra fotográfica é justamente educar o público e, assim, contribuir para a diminuição do preconceito contra as vítimas das doenças de pele, erroneamente consideradas contagiosas. Como bem afirma a autora das imagens, “estas chamam a atenção para a necessidade de olharmos para além da superfície, da importância de nos esforçarmos para se livrar dos preconceitos causados pelo desconhecido”.

Como também explica a dra. Régia, ao colocar as crianças como protagonistas de seu ensaio fotográfico ela pretende ir além do que se vê. A partir de uma apurada e sensível linguagem, ela evidencia uma beleza que extrapola os padrões estéticos e revela o que há de mais expressivo e delicado no âmbito familiar. A exposição registra os portadores que sofrem de patologias relacionadas à pele, como albinismo, psoríase, dermatite atópica, epidermólisebolhosa, ictiose e outras doenças hereditárias que atingem cerca de 2% da população brasileira e que, apesar de não contagiosas para quem com elas convive, ainda causam desconforto, rejeição e preconceito.

A primeira mostra “Além da Pele – A Beleza da Alma e da Família” foi realizada em março de 2014, na Pinacoteca da Associação Paulista de Medicina. Como obteve uma boa repercussão a exposição seguiu em janeiro de 2015 para o Condomínio Conjunto Nacional, na Avenida Paulista em São Paulo. Depois do período de visitação no Centro Cultural Cultural da Juventude, a exposição, em consonância com a proposta de educar e esclarecer o maior número de pessoas seguirá para outros locais. Entre eles, o Memorial da Inclusão.

Sobre a fotógrafa

Régia Celli Patriota de Sica vive e trabalha em São Paulo. É médica formada pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Em 2011, concluiu o curso de Fotografia na Panamericana Escola de Arte e Design, em São Paulo. Segundo Alícia, a formação em Medicina deu à médica a habilidade de ver o que não necessariamente está na imagem, mas, sim, no tato, nas entrelinhas e nos sons descompassados do corpo de alguém que pede cuidados. “Crianças e mães acostumadas aos tratamentos clínicos aceitaram posar frente à sua lente, que revela não só uma imagem objetiva, mas a alma, a vida e a história de toda uma família, uma vida complexa e sensível. A pele, os perfis, os rostos tantas vezes escondidos e rejeitados na vida social, ali naquele instante, sob o olhar da fotógrafa, ganharam espaço para gritar e mostrar-se em sua plenitude: orgulhosos, dignos e incluídos”, afirma a curadora, sintetizando: “Contagiosa é a vontade de Régia de mostrar ao mundo que, nessas histórias, os caminhos e desafios nunca serão maiores do que suas lutas e, principalmente, seus sonhos”.

 

Tags:

No Comments

Post a Comment